Já ouviu falar em norma de desempenho? NBR 15575

Quando vemos um
atleta ganhando uma medalha de ouro ou quebrando um recorde, somos lembrados
que o desempenho dele foi superior. Então, será que é possível medir o
desempenho de um prédio?

A
norma de desempenho NBR 15.575 foi aprovada em 2013, e desde então, todos os novos
projetos aprovados precisam atendem seus requisitos. Essa norma traz como
novidade o conceito de comportamento em
uso
dos componentes e sistemas das edificações, sendo que a construção
habitacional deve atender e cumprir os requisitos de desempenho ao longo dos
anos, promovendo o amadurecimento e melhoria da relação de consumo no mercado
imobiliário, na medida em que todos os participantes da produção habitacional
são incumbidos de suas responsabilidades, ou seja, projetistas, fornecedores de
material, componente e/ou sistema, construtor, incorporador e usuário, todos eles possuem uma parcela de
responsabilidade na realização de uma edificação.

Para
todos os critérios incluídos na norma de desempenho, foram estabelecidos
patamares que variam entre mínimo, intermediário e superior. O nível mínimo de
desempenho deve ser obrigatoriamente atingido pelos diferentes elementos e
sistemas da construção. Os níveis intermediário e superior não possuem caráter
obrigatório, apenas informativo sobre o padrão da edificação.

E
um aspecto importante é que esta norma se aplica a construções com a função
habitacional.

Vamos
conhecer o que é exigido de modo geral como características de desempenho:

1. Requisitos
gerais de desempenho:
Trata de uma análise do entorno do empreendimento como estudos sobre os
riscos ambientais, exposição à ruídos, enquadramento da região na zona
bioclimática e análise dos requisitos relacionados a ela.

2. Desempenho
estrutural:
 Trata
da qualidade da estrutura portante da construção.

3. Segurança
contra incêndio:
 Vai avaliar os tempos de resistência ao fogo da estrutura,
alvenarias, acabamentos e outros itens que possam minimizar o alastramento do
fogo na edificação.

4. Segurança
no uso e operação:
 verifica se a edificação, durante seu uso, apresentará algum tipo
de risco ao usuário, como queda em altura por ausência de guarda-corpo, partes
cortantes ou perfurantes e inclinação de rampas, por exemplo.

5. Funcionalidade
e acessibilidade:
 solicita a aplicação da nbr 9050, que apresenta itens de
acessibilidade a pessoas com mobilidade, visão ou audição reduzidas.

6. Conforto
tátil e antropodinâmico:
 especifica que itens como dispositivos de manobra (torneiras,
louças, metais, fechaduras e trincos) apresentem dimensões e formatos compatíveis
com a anatomia humana, não apresentando rugosidades, contundências, depressões
ou outras irregularidades que possam causar desconfortos durante seu uso.

 7. No Desempenho
térmico:
vemos
as especificações das fachadas quanto aos seus materiais e características do projeto arquitetônico para colaborar com a
qualidade do conforto de temperatura dentro do ambiente.

8. Desempenho
acústico:
 É
o item que avalia o conforto dentro da edificação quanto ao ruído proveniente
da rua ou a transmissão do ruído entre os apartamentos.

9. Desempenho
lumínico:
 Avalia
o posicionamento da edificação quanto à qualidade da iluminação natural.

10. Estanqueidade
à água:
 Capacidade
da edificação de impedir a entrada da água em seu interior ou em sistemas que
possam se fragilizar com sua presença, como concreto armado.

11. Durabilidade: O conceito de durabilidade é
definido pelo tempo de vida útil de uma edificação. A vida útil de qualquer
produto, seja um automóvel ou uma edificação, depende da eficiência do projeto,
da construção e dos cuidados no uso e manutenção. A vida útil prevista no
projeto da habitação só poderá ser atingida no caso do seu uso correto e adoção
de eficientes processos de manutenção, obedecendo-se fielmente ao estipulado no
Manual de Uso e Operação do Proprietário e das Áreas Comuns.

12. Manutenibilidade
e gestão da manutenção predial:
 Solicita que a edificação deve ser construída
com a manutenção futura em mente, então precisa prever acesso à todas as áreas
técnicas, suportes para manutenção das fachadas, entre outros, além de informar
aos usuários sobre como manter a construção.

A norma de desempenho já completou cinco anos desde sua aprovação, e em breve, deve sofrer atualização para absorver o desenvolvimento de metodologias e materiais do setor. Então, fique atento!

Quer saber mais?

Baixe nosso ebook sobre Edifícios Eficientes!

Baixe aqui seu ebook gratuitamente!

Published by

realizarengenharia

A Realizar é uma empresa de engenharia condominial para prevenção de problemas e preservação dos imóveis. Manutenção predial acessível e confiável.

Deixe uma resposta