Alvenaria estrutural: Um jeito milenar de construir

Alvenaria estrutural parece ser um método recente de construir, já que vários prédios surgiram com essa metodologia nos últimos anos. Mas será que ela foi desenvolvida, ou redescoberta?

Primeiro: O que é alvenaria estrutural?

Na verdade, é um sistema construtivo que consiste em empilhar elementos como pedras, tijolos de concreto ou cerâmica para produzir uma parede que sustentará a laje e os outros pavimentos que estiverem acima. É por isso que em prédios dessa tecnologia construtiva não se pode remover as paredes para modificar o ambiente, pois elas são a estrutura portante, a que sustenta todo o edifício.

Mas,
quando falamos em construção e milenar, na mesma frase, a primeira coisa
que vem à mente são as grandes pirâmides do Egito!

E
sim, as grandes pirâmides também são de alvenaria estrutural, porém utilizavam
pedras enormes como elemento construtivo. Hoje vamos falar de um parente antigo
das pirâmides: os zigurates!

Enquanto
em muitas partes do globo a humanidade ainda era basicamente nômade; no
crescente fértil, região que contempla os vales do Rio Nilo, Jordão e os rios
Tigre e Eufrates,  já eram produzidas
estruturas maciças com tijolo de barro cru ou adobe. E isso há mais de 5.000
anos!

Os zigurates

Zigurates: construções em tijolos de barro ou adobe da região do crescente fértil (atual Iraque)

A
mais monumental dessas construções são os zigurates. Trata-se de uma pirâmide
truncada, entende-se que para simbolizar uma grande montanha artificial. O zigurate
tinha funções de templo, proporcionava moradia para sacerdotes e eruditos das
ciências, medicina, escrita e do saber.

O
mais interessante é observar que nessas edificações milenares já se utilizavam
técnicas complexas de construção. Uma das técnicas importantes utilizadas na
construção com tijolos nos zigurates é a do intertravamento e cruzamento entre
as fileiras, evitando juntas verticais contínuas. Essa técnica, provavelmente
criada por esses engenheiros perdidos no tempo, é utilizada até hoje nos
nossos prédios modernos, e tem como objetivo conferir mais rigidez e
resistência à parede ou muro construído.

Outra
técnica presente nos zigurates é a amarração das alvenarias nos cantos das
paredes, entrecruzando numa e noutra direção perpendicular as pontas e as
laterais dos tijolos em cada fiada.

Em destaque: o entrecruzamento perpendicular nas quinas das paredes

As
alvenarias ainda eram argamassadas com uma mistura primitiva de betume e areia
do deserto, dois materiais abundantes nesta região da Mesopotâmia.

O
mais famoso desses templos primitivos é o chamado zigurate de Ur, construído na
cidade de mesmo nome por volta do ano 3.000 ac, mais de 5.000 anos atrás.

Zigurate de Ur, construído na cidade de mesmo nome há mais de 5.000 anos!

Então, na próxima vez que você ver um prédio em alvenaria estrutural, perceba na edificação de hoje a genialidade dos construtores do passado.

Fontes consultadas: A História das Construções, Volume 1: Da pedra lascada às pirâmides de Dahchur


Quer saber mais?

Baixe nossas publicações sobre Edifícios Eficientes!

Published by

realizarengenharia

A Realizar é uma empresa de engenharia condominial para prevenção de problemas e preservação dos imóveis. Manutenção predial acessível e confiável.

Deixe uma resposta